MIGRAÇÃO DA MULHER INDÍGENA PARA A CIDADE DE BOA VISTA-RR

REINVENÇÃO DA IDENTIDADE

  • Maria Georgina Silva
  • Selma Maria de Souza e Silva Mulinari Universidade Federal do Rio de Janeiro/UFRJ
Palavras-chave: Cultura indígena, Identidade e gênero

Resumo

O processo de migração de mulheres indígenas roraimenses para a cidade de Boa Vista tem ocasionado mudanças em suas práticas culturais. Esse deslocamento tem provocado um distanciamento da cultura, dos costumes, das crenças e dos valores adquiridos no núcleo familiar, já que essas mulheres passam por experiências que rompem com as relações pessoais e sociais, levando-as à construção de novas identidades. A discussão aqui delineada dá-se no sentido de compreendermos quais são os motivos que levam as mulheres indígenas a se deslocarem para a capital, e porque suas práticas culturais são modificadas com o contato com o não indígena. Além disso, observamos que não tem sido tarefa fácil para a mulher indígena assumir sua identidade perante o não índio em função do preconceito, do uso da língua, da crença ou das práticas culturais. Nesse sentido, para alcançarmos nossos objetivos, a metodologia adotada foi a história oral, que busca mostrar, através dos relatos dessas mulheres, que as relações étnico-culturais ainda são bastante desiguais em Roraima e no Brasil, porque há um despreparo de parte da sociedade para se lidar com as diferenças no tocante às práticas culturais específicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Selma Maria de Souza e Silva Mulinari, Universidade Federal do Rio de Janeiro/UFRJ

Professora Mestre em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro

Publicado
2019-10-07
Como Citar
SilvaM. G.; Selma Maria de Souza e Silva Mulinari. MIGRAÇÃO DA MULHER INDÍGENA PARA A CIDADE DE BOA VISTA-RR. Revista Ambiente: Gestão e Desenvolvimento, v. 12, n. 2, p. 10-18, 7 out. 2019.
Seção
Artigos - Seção Varia