CORPOS INDÍGENAS MESTIÇOS (IN)DÓCEIS EM ‘ROMANCES DO CIRCUM-RORAIMA’

  • Huarley Mateus do Vale Monteiro
Palavras-chave: Corpos insígenas, Mestiçagem, Literatura brasileira, Nenê Macaggi

Resumo

Este texto intitulado ‘Corpos indígenas mestiços (In)Dóceis nos Romances do circum-Roraima’ e constitui-se enquanto desdobramento da proposta de tese de doutoramento em Estudos Literários iniciada em 2016 (PPGL-UFPA); aqui, tem por objetivo central verificar a representação da categoria corpo como escrituração historiográfica, 'corpo documento’. Focalizamos a matéria nortista, amazônica, produzida pela escritora roraimense Nenê Macaggi (A mulher do garimpo: o romance do extremo sertão norte do amazonas (1976/2012), Exaltação ao verde: terra – àgua - pesca (o romance do baixo Rio Branco) (1984), Dadá Gemada Doçura Amargura (O romance do fazendeiro de Roraima) (1980) e Nará Sué Werená (O romance dos Xamauteuteres do Parima) (2012)) como referente para a analítica pretendida. Sabemos que não há uma sistemática definida nos estudos implementados pelos mais diferentes pensadores a respeito da categoria em questão; logo, partiremos da dinâmica interdisciplinar aproximando aspectos da genealogia de linhagem foucaltiana e da historiografia literária. Nessa linha de entendimento, a obra Vigiar e Punir (1999), de M. Foucault, constitui-se ponto de partida para nossa busca. Além deste, é possível empreendermos diálogo com as reflexões de G. Agamben (2017) e R. Esposito (2014). Dessa maneira, será efetuada a seguinte sistematização para a dinâmica de apresentação deste trabalho: inicialmente contextualizar a categoria corpo enquanto escrita (...)

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-10-01
Como Citar
MonteiroH. M. do V. CORPOS INDÍGENAS MESTIÇOS (IN)DÓCEIS EM ‘ROMANCES DO CIRCUM-RORAIMA’. Revista Ambiente: Gestão e Desenvolvimento, v. 12, n. 2, p. 2-9, 1 out. 2019.
Seção
Artigos - Seção Varia